Investment Banking

Áreas de Atuação

Transações envolvendo fusões e aquisições, desinvestimentos, parcerias e alianças estratégicas (joint ventures) são críticas não apenas por permitir o crescimento de uma empresa mas, em muitos casos, por também garantir a sua relevância bem com sua sobrevivência. A experiência do BI&P em identificar e executar transações de compra e de venda tem ajudado a elevar a posição competitiva de nossos clientes.

Nossa independência nos permite adotar uma visão centrada no cliente durante a estruturação e a negociação de fusões e aquisições. Com isso podemos oferecer uma assessoria imparcial, tendo, eventualmente, a capacidade de recomendar ao cliente o não prosseguimento em uma transação, se esta for a melhor alternativa. Nosso trabalho em diversas indústrias nos leva a ter um entendimento setorial profundo que, em conjunto com nosso conhecimento de finanças corporativas, nos permite oferecer a solução adequada para cada situação.

Nosso profundo conhecimento dos detalhes de cada transação nos permite negociar não apenas melhores condições de preço, mas também as melhores estruturas de pagamento, financiamento, opções de saída e garantias, entre outras cláusulas. A atuação consiste na estruturação e negociação da transação, incluindo: (i) identificação e abordagem de possíveis alvos/compradores; (ii) avaliação da companhia-alvo (iii) coordenação do trabalho de assessores legais e contábeis, (iv) estruturação da proposta a ser apresentada ou do pedido de proposta; e (v) assessoria na negociação dos termos e condições da transação final.

Acessar recursos de investidores financeiros permite a uma empresa não apenas financiar seu crescimento, como também incrementar a sua capacidade de atrair e reter executivos e conselheiros que a auxiliarão na definição e implementação da sua estratégia. A decisão de expandir a base de acionistas ao atrair novos investidores normalmente representa um ponto de inflexão na vida de uma empresa. Entretanto, esta decisão, bem como a sua execução, representa um processo trabalhoso, fazendo com que a seleção do assessor financeiro adequado possa terminar por representar a diferença entre o sucesso e o fracasso.

O BI&P possui experiência em levantamento de capital no mercado privado junto a investidores locais e internacionais. Nosso currículo é um diferencial na estruturação de transações e nos permite identificar investidores, avaliar o investimento, negociar cláusulas contratuais e fechar o negócio.

Mantemos contato com uma ampla rede global de investidores institucionais, incluindo fundos de private equity, companhias seguradoras, hedge funds e fundos de pensão. O contato constante com estes investidores nos proporciona uma leitura correta dos tipos de negócio em que estes estão interessados, o que nos leva a identificar o investidor ideal para cada negócio. Tal característica nos permite reduzir o prazo de execução além de aumentar a confidencialidade do processo.

Através de nosso profundo entendimento de questões de governança, auxiliamos nossos clientes a negociar os termos e condições definitivos das transações, incluindo aspectos de preço, cláusulas e opções de saída, direitos de acionistas, etc. Através deste processo, buscamos a defesa dos interesses de nossos clientes, com foco não apenas em questões imediatas, mas também em aspectos de longo prazo como, por exemplo, o alinhamento entre investidor e executivos, além de itens relativos à governança corporativa.

O financiamento através de instrumentos de dívida constitui-se em uma fonte atraente de fundos, na medida em que evita a diluição dos acionistas.

Os profissionais do BI&P possuem profunda compreensão de finanças corporativas e dos mercados de crédito local e internacional, permitindo a assessoria a clientes na estruturação e no levantamento de dívida junto a uma gama significativa de investidores. Assessoramos um volume significativo de transações de levantamento de dívida em mercados públicos e privados. Nossa experiência nestas.

 

Antecipação de até 100% do valor da exportação futura, em moeda nacional. O valor da moeda nacional é calculado com base nas exportações em moeda estrangeira, convertido à taxa de câmbio do dia da antecipação. Caso ocorra o embarque da mercadoria, o ACC é convertido em um ACE e sua liquidação se dá mediante o pagamento da exportação no exterior.

É o nome dado pelo mercado à CCB (modelo tradicional) emitida por empresas do segmento imobiliário com o objetivo de levantar recursos para o desenvolvimento de empreendimentos, infraestrutura e saneamento básico destinados à habitação, limitados ao custo total do projeto. Possui como vantagem, em relação à CCB tradicional, a isenção de IOF.

O CRA é título de crédito representativo de promessa de pagamento em dinheiro, emitido por Securitizadoras. Possui base em lastro de recebíveis originados de negócios entre produtores rurais, ou suas cooperativas, e terceiros, inclusive financiamentos ou empréstimos relacionados com a produção, comercialização, beneficiamento ou industrialização de produtos ou insumos agropecuários ou de máquinas e implementos utilizados na produção agropecuária.

É um título de renda fixa emitido exclusivamente por Companhias Securitizadoras e lastreado em créditos imobiliários. Esses créditos imobiliários podem ser decorrentes de operação de compra e venda de imóveis, aquisição de unidades vinculadas a incorporações, financiamentos imobiliários e build to suit, sejam estes residenciais, comerciais ou industriais.

Capital de Giro em moeda estrangeira.

É um título de dívida de curto prazo que pode ser emitido tanto por Sociedades Anônimas (S.A.) quanto por Limitadas (Ltda.) tendo seu prazo de vencimento definido de acordo com as características da constituição do emissor, podendo ser emitida por 180 ou 360 dias. Por ser destinado à oferta pública é considerado um valor mobiliário. Sua maior vantagem em relação a um financiamento comum é a isenção de IOF.

É um título representativo de créditos imobiliários emitido pelo credor do crédito, pessoa física ou jurídica. Esses créditos imobiliários podem ser decorrentes de operação de compra e venda de imóveis, aquisição de unidades vinculadas a incorporações, financiamentos imobiliários e build to suit, sejam estes residenciais, comerciais ou industriais. Deve ter prazo máximo e volume equivalentes aos créditos cedidos.

Instrumentos de dívida de médio e longo prazo emitidos pelas Sociedades Anônimas (S.A.) de capital aberto ou fechado, que podem ser negociados no mercado de capitais. Dentre suas vantagens estão a grande flexibilidade, permitindo à companhia adaptar a emissão de acordo com suas necessidades e características e a isenção do IOF.

É um título de crédito emitido pelo exportador (Pessoa Jurídica) em reais, para fins de financiamento do fluxo futuro de exportação, ou a produção de bens destinados à exportação, ou ainda às atividades de apoio e complementação integrantes e fundamentais da exportação.

Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios são fundos constituídos em forma de condomínio aberto ou fechado e que destinam a maior parte dos recursos à aquisição de direitos creditórios, comumente originados por meio de operações comerciais realizadas nos setores financeiro, industrial, imobiliário etc. De forma geral, o FIDC é o veículo pelo qual as empresas detentoras desses créditos os vendem ou cedem a terceiros, nesse caso, aos cotistas do FIDC.

É um financiamento ao exportador brasileiro na fase pré-embarque, cujos recursos são obtidos por meio de captação em instituições financeiras no exterior e que tem como finalidade viabilizar a produção dos bens destinados à exportação. A liquidação do financiamento ocorre através dos recursos recebidos da exportação realizada.

Os Fundos de Investimento Imobiliário são constituídos como condomínios fechados. A comunhão dos recursos captados por meio de um fundo imobiliário é destinada a aplicação em empreendimentos imobiliários, tais como imóveis comerciais, residenciais, rurais ou urbanos, construídos ou em construção. O objetivo é auferir renda mediante locação, alienação ou arrendamento dos empreendimentos adquiridos.

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO RBR ALPHA FUNDO DE FUNDOS

Distribuição Pública de Cotas da Primeira Emissão do Fundo de Investimento Imobiliário RBR Alpha Fundo de Fundos

FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS OMNI VEÍCULOS X

1ª emissão de cotas seniores ("Cotas Seniores") e de cotas subordinadas mezanino ("Cotas Subordinadas Mezanino") do FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS OMNI VEÍCULOS X

Assessoria a companhias que buscam abrir seu capital (IPO), atuando nas etapas de preparação que antecedem o engajamento do(s) banco(s) de investimento, tais como questões de estrutura e avaliação, auditoria e governança corporativa.

A assessoria contempla a orientação ao cliente em todas as etapas envolvidas no processo de IPO, buscando desenvolver uma tese de investimento coerente que maximize o valor da companhia, envolvendo: (i) elaboração do business plan e estudo de viabilidade da companhia (ii) assessoria na estruturação da companhia, suas questões fiscais e societárias; (iii) assessoria no levantamento de capital ou questões relacionadas a fusões e aquisições para dar robustez à companhia; (iv) assessoria na preparação dos principais contratos; e (v) assessoria na escolha de coordenadores, advogados e auditores para o IPO.

Reestruturações corporativas envolvem situações delicadas na vida de uma empresa, e normalmente determinam a viabilidade de sua existência. Os participantes (stakeholders) de empresas neste estado muitas vezes não encontram outra opção senão a de aceitar uma redução nos seus créditos, para assim permitir a continuidade do negócio. Diferenças na visão de longo prazo podem também resultar na interrupção das operações, reduzindo o valor da empresa. Tais situações tipicamente envolvem negociações complexas com importantes repercussões na existência de cada parte envolvida: acionistas, empregados, clientes e fornecedores, entre outros.

A experiência do BI&P em reestruturações corporativas nos permite identificar rapidamente o posicionamento competitivo de cada parte em uma negociação, permitindo assessorar nosso cliente para que ele possa maximizar seu benefício no processo. Nossa familiaridade com implicações legais de cada alternativa de solução, auxiliada por assessores legais especializados, nos permite mapear cada parte em uma negociação e colocar nosso cliente em uma posição ótima. Os serviços envolvem assessoria na avaliação de ativos, negociação com sócios, sugestão de mecanismos de liquidez e resolução de conflitos, e assistência na estruturação e fechamento do negócio.

Neste sentido, possuímos ampla experiência em atuar dentro da linha tênue que separa os interesses dos acionistas e dos credores. Tal competência é fundamental para evitar interrupções bruscas nas negociações, ao mesmo tempo em que nos permite manter um relacionamento produtivo com credores, que eventualmente terão seus créditos reduzidos.

Revisão de planejamento estratégico e variáveis sensíveis para avaliação do negócio do cliente no contexto de uma transação ou para fins de planejamento estratégico, mediante elaboração de business plan, levando em consideração as premissas gerais da empresa, condições econômicas e mercadológicas.

A assessoria envolve também a elaboração de avaliação econômico-financeira dos negócios dos clientes (mediante aplicação de metodologias como fluxo de caixa descontado, múltiplos de mercado e transações comparáveis, entre outras), bem como a identificação e avaliação da estrutura ótima de capital e estudo de viabilidade da companhia.

Sócios

Iniciou sua carreira profissional em 1979, como advogado no escritório Pinheiro Neto Advogados, atuando na área de fusões e aquisições. Em 1988, foi co-fundador e presidente do Banco Patrimônio (joint-venture com o banco norte-americano Salomon Brothers). Em 1999, liderou a venda do Banco Patrimônio ao Chase Manhattan, e atuou de março de 1999 a dezembro de 2000, como presidente do Banco Chase Manhattan Brasil. Após a aquisição do banco JP Morgan pelo Chase, mudou-se para Nova York (2001-2003), onde liderou a área internacional de renda variável do JP Morgan, englobando os mercados da Europa, Ásia, África do Sul, América Latina e Austrália. Foi co-fundador (2006), CEO (2006-2009) e é atualmente Vice Presidente do Conselho de Administração e acionista da CPM Braxis S.A. (Cap Gemini), uma das maiores empresas de serviços de tecnologia do Brasil. É fundador e da Casa do Saber e da Associação Parceiros da Educação (organização independente sem fins lucrativos que promove a parceria de escolas pública e privada). Atualmente é CEO, membro do Conselho e acionista controlador do BI&P. É formado em direito pela USP e em economia pela FAAP. Possui mestrado em direito (LLW) pela Universidade da Califórnia – Berkeley.

Caio atualmente lidera a equipe de Investment Banking do BI&P. Anteriormente, atuou como Diretor Executivo da equipe Latino-americana de Investment Banking do Nomura em São Paulo. Antes de ingressar no Nomura, passou três anos na equipe de Investment Banking do Deutsche Bank em São Paulo e quatro anos no ING Bank como responsável pela cobertura de uma grande variedade de companhias focadas em Recursos Naturais e Infraestrutura na região. Anteriormente ao ING Bank, trabalhou nos escritórios de São Paulo e de Nova York do Deutsche Bank por mais de três anos, bem como no Global M&A Group do UBS Warburg, em Nova York. Caio começou sua carreira como auditor e consultor na Arthur Andersen. É bacharel em Administração de Empresas pela Unifacs (Salvador/BA) e possui mestrado em Administração de Empresas pela Darden Graduate School of Business da Universidade de Virgínia.


 

Transações Recentes Selecionadas – 2014/2015/2016

       O BI&P assessorou a CTEEP na análise dos Lotes 1 (em consórcio com a TAESA), 5, 6, 25 e 29, no âmbito do Leilão de Transmissão Nº 05/2016.
 
Receita Anual
R$ 396.278.733
Junho 2017
O BI&P assessorou o Consórcio Cesbe-Fasttel na análise do Lote 2, no âmbito do Leilão de Transmissão Nº 05/2016.
 
Receita Anual
R$ 28.058.966
Junho 2017
O BI&P assessorou a Arteon Z Energia e Participações Ltda. na análise dos Lotes 8 e 28, no âmbito do Leilão de Transmissão Nº 05/2016.
Receita Anual
R$ 25.520.800
Junho 2017

O BI&P assessorou o Consórcio LT Norte, composto pelas empresas FM Rodrigues e Hersa, na análise do Lote 14, no âmbito do Leilão de Transmissão Nº 05/2016.

 

Receita Anual
R$ 14.283.930
Maio 2017
Atuação como Coordenador Líder da Emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) ICVM nº 476 da Usina Sonora.
 
R$ 35.000.000
Março 2017

O BI&P assessorou a Tecam na venda de 100% de suas ações para a australiana ALS Global.

 
Dezembro 2016

Atuação como Coordenador na estruturação e distribuição de créditos imobiliários originados pela Cipasa.

 
R$ 40.000.000
Setembro 2016

Assessoria financeira à Vogel (investida do fundo de private equity P2 Brasil) na aquisição da Telbrax.

 
Julho 2016

Assessoria financeira à AGV Logística na captação de recursos e venda de participação acionária para os fundos de private equity Kinea e Global Environment Fund (GEF).

 


 
Abril 2016

Atuação como Coordenador Líder da Emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) ICVM nº 476 da NovAmérica.

R$ 50.000.000
 
Abril 2016

Atuação como Coordenador da Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) ICVM nº 476 da Granviver Urbanismo.

R$ 130.000.000
 
Agosto 2015
 

Assessoria em uma operação inédita no Brasil, na qual um grupo formado por 18 empresas de serviços funerários, que atendem 3,8 milhões de vidas no Brasil, associou-se à Icatu Seguros para a criação de uma nova seguradora.

 
Julho 2015
O BI&P assessorou a Lactalis/Parmalat na aquisição da participação da Carbery na Nutrifont (indústria de whey protein).
 
Julho 2015
O BI&P assessorou a Vogel na aquisição da SouthTech Telecom.
 
Março 2015
O BI&P atuou como Coordenador Líder da 1ª Emissão de Debêntures Simples, não conversíveis em ações, da Capricórnio S.A.
 
R$ 65.000.000
Fevereiro 2015
O BI&P assessorou a Lactalis/Parmalat na aquisição da divisão de lácteos da BRF (incluindo a Batavo e Elegê) e da participação na Nutrifont.
R$ 2.100.000.000
Dezembro 2014
O BI&P prestou serviços de assessoria financeira para a Protende.
 
 
Novembro 2014
O BI&P assessorou o Camará Shopping na captação de dívida para desenvolvimento do shopping em Camaragibe-PE.
 
R$ 80.000.000
Novembro 2014
O BI&P assessorou a Parmalat, uma empresa do grupo Lactalis, na aquisição de ativos pertencentes à LBR.
R$ 250.000.000
Novembro 2014
O BI&P atuou como coordenador na distribuição de cotas do FIDC X.
 
R$ 158.860.000
Setembro 2014
O BI&P assessorou os acionistas da Servtec Engenharia na venda de 100% da companhia para o Grupo GPS.
 
Setembro 2014
Joint Venture entre BI&P e Gran Viver Urbanismo que atuará no mercado imobiliário de loteamentos em MG, RJ e ES.
 
 
Agosto 2014
O BI&P assessorou a Tarpon Gestora de Recursos na aquisição de participação da Abril Educação.
R$ 676.295.509
Agosto 2014
O BI&P assessorou a Jasmine na venda para a francesa Nutrition et Santé, subsidiária da farmacêutica japonesa Otsuka.
 
Agosto 2014
O BI&P assessorou a Avvio Telecom no levantamento de capital aportado pelo fundo de private equity P2 Brasil.
 
Julho 2014
O BI&P assessorou a Construtora Mota Machado na estruturação e distribuição de CRI – Certificado de Recebíveis Imobiliários.
 
 
Julho 2014
O BI&P assessorou o Parques do Vale na negociação de parceria relativa a ativos imobiliários com a Alphaville.
R$ 229.000.000
Junho 2014
O BI&P atuou como Estruturador e Coordenador Líder na 4ª Emissão de Debêntures da Moura Dubeux Engenharia.
 
R$ 175.000.000
Fevereiro 2014
O BI&P assessorou a FUNCEF na operação de capitalização na Odebrecht Utilities.
R$ 300.000.000
Janeiro 2014

Os seguintes problemas ocorreram: